A ditadura militar de 1964 foi de direita? Conta outra esquerdoso!

A contra-revolução de 1964.
O povo brasileiro foi às ruas e pediu a intervenção do exército, o que levou à Contra Revolução de 1964.

Dizem que a contrarrevolução de 1964 foi um movimento da “direita” contra o comunismo. Mentira! E deslavada!

Aquele movimento de fato foi uma mobilização da sociedade brasileira contra o comunismo estilo Fidel Castro, mas nem de longe aquilo pode ser considerado de “direita”. Explico.

Os militares ficaram 20 anos no poder. O que fizeram? Continue lendo “A ditadura militar de 1964 foi de direita? Conta outra esquerdoso!”

Traição: por que a vítima sempre é a última a saber?

Por mais estranho que pareça, muita gente ignora os fatos e acha isso normal.
Por mais estranho que pareça, muita gente ignora os fatos e acha isso normal.

O marido chegou em casa com marca de batom no colarinho, a mulher viu e perguntou o que houve. Ele respondeu: “foi um acidente, fui abraçar uma amiga no trabalho para lhe desejar feliz aniversário e seus lábios encostaram aí sem querer”. A mulher acreditou e tudo ficou por isso mesmo.

Na outra semana, o esposo voltou com mais marcas de batom no colarinho e impregnado de perfume de outra mulher. Deu a mesma desculpa e a esposa acreditou. Ela pensou: vale tudo em nome da paz no casamento…

No outro mês, ele chegou com mais marcas de batom, desta vez no corpo, impregnado do perfume de outra mulher, as costas arranhadas e um pacote de camisinha aberto dentro do bolso. Havia várias mensagens suspeitas no celular dele. Mas, incrivelmente, a esposa continuou a acreditar na mesma desculpa esfarrapada.

Você deve estar se perguntando o porquê essa mulher ainda insiste em acreditar em seu marido, mesmo com tantas evidências de uma traição em curso.

POIS BEM, VOU LHE EXPLICAR.

Continue lendo “Traição: por que a vítima sempre é a última a saber?”

Constituinte Parcial? Tal aberração só podia ser proposta pela presidente do Brasil.

Inconstitucional e antidemocrático

Em rede Nacional de TV, a presidente do Brasil propôs rasgar a constituição que ela jurou defender. Impeachment já!
Em rede Nacional de TV, a presidente do Brasil propôs rasgar a constituição que ela jurou defender. Impeachment já!

A presidente Dilma propôs um plebiscito para fazer uma “nova constituinte” sobre reforma política. De todas as promessas estúpidas feitas até agora, essa foi a pior.

Primeiro: não é juridicamente possível fazer uma “constituinte parcial”. Ou se faz uma nova constituição na íntegra ou se propõe mudança legislativa em obediência à Constituição Vigente. Se esse absurdo passar, o que não vai, será um verdadeiro golpe de Estado. E quem redigirá a nova constituição? Os condenados do mensalão? Sim! Nesse caso, a emenda sairá pior que o soneto… E a reforma Penal? E a reforma tributária? E a reforma do Judiciário? E o fim do Projeto de Emenda Constitucional 37 – PEC 37? Ela nem tocou nesses temas porque enquanto essa estrutura falida continuar, a corrupção não terá fim. Continue lendo “Constituinte Parcial? Tal aberração só podia ser proposta pela presidente do Brasil.”

Ministro Joaquim Barbosa critica a criação do Tribunal Regional Federal de Minas Gerais

Ministro Joaquim Barbosa durante reunião da 2ª turma no STF  em Brasília. FOTO: ANDRE DUSEK/AE
Ministro Joaquim Barbosa durante reunião da 2ª turma no STF em Brasília.
FOTO: ANDRE DUSEK/AE

Todos possuem direito a manifestar sua opinião, seja ela favorável ou desfavorável a um ponto de vista. Este é pilar básico da Democracia. Entretanto, Joaquim Barbosa, Presidente do STF, chamou a atenção hoje pelo viés autoritário.

Em 08/04/2013 ele acusou os representantes das associações de magistrados de terem agido de maneira “sorrateira” para “induzir” os congressistas a aprovarem a PEC que criou os novos Tribunais Regionais Federais. A discussão ocorreu durante audiência com as associações de magistrados. Assim disse o Ministro:

Pelo o que eu vejo vocês participaram de maneira sorrateira da aprovação. São responsáveis, na surdina, pela aprovação”.

Só para esclarecer, a criação de um Tribunal Regional Federal em Minas Gerais é uma demanda antiga que já vem sendo discutida e proposta há mais de 10 anos. Só o Estado de Minas Gerais, por exemplo, é responsável por mais de 50% dos processos em tramitação no Tribunal Regional Federal da Primeira Região. Talvez a criação dos TRFs em outros estados pudesse esperar, mas em Minas Gerais com certeza era uma necessidade.

Dessa forma, a declaração do Ministro do STF de que a criação dos Tribunais oneraria as finanças do Brasil e que foi feita à “surdina” e de forma “sorrateira” é, no mínimo, irrefletida. Ela indignou os juízes e servidores do Judiciário Federal da Primeira Região. Continue lendo “Ministro Joaquim Barbosa critica a criação do Tribunal Regional Federal de Minas Gerais”

Carta Política de São João del-Rei

São João del-Rei, MG

A Carta Política de São João del-Rei é um documento aberto entregue a S.A.I.R. Dom Bertrand por ocasião de sua visita ao município de São João del-Rei em 19 e 20 de agosto de 2012. Ela resume as propostas dos monarquistas mineiros para a formação de um novo Estado com fundamento na Monarquia parlamentar, na restauração do 4º Poder e no fortalecimento da Democracia e das Liberdades civis.

É o primeiro documento do gênero e abrange diversas áreas: organização da Federação, Reforma Tributária, Reforma Eleitoral, Organização do Estado, Poder Moderador, Educação, Composição dos Tribunais Superiores, novo sistema Penal e Prisional.

O documento traz ideias inovadoras e inéditas e reforça outras já conhecidas. Ele é focado em conceder o máximo de liberdade e poder político aos cidadãos. Propõe o fortalecimento dos municípios na Federação concedendo-os mais competências, mais renda e mais força política. Continue lendo “Carta Política de São João del-Rei”

Poder Judiciário: o bode expiatório do Brasil.

CNJ: órgão criado para controlar o Poder Judiciário
CNJ: órgão criado para controlar o Poder Judiciário como se a culpa de tudo fosse dele. O Poder Judiciário é o mais injustamente criticado. Ninguém quer saber das causas das mazelas, querem apenas culpados. Tanto a mídia, quanto os políticos se aproveitam da ignorância popular para despejar no Judiciário a responsabilidade por todos os problemas quando a história é bem diferente

Não concordo com a opinião de que “magistrados protegem magistrados” e de que o Poder Judiciário é uma caixa preta marcada por lentidão e burocracia. Isso é fruto de ingenuidade e de uma má compreensão desse Poder no Brasil.

Os processos demoram? Sim. As corregedorias estaduais são lentas? Sim. Mas ninguém pergunta o porquê.

Primeiro: juízes não criam o Direito. Eles o aplicam conforme ele está nas normas. Se a norma torna o processo mais lento, o cidadão precisa entender que isso não se deve só ao Juiz, mas principalmente a quem faz a Lei que o Juiz é obrigado a seguir. No caso, o Congresso Nacional e o Presidente da República. Portanto, o cidadão deve cobrar deles que façam uma lei melhor. Além disso, lembro: se o Juiz tentar ser “alternativo” e não aplicar a lei, os atos praticados serão eivados de nulidade… Ou seja: ou o Juiz aplica a lei (mesmo que seja ruim) ou outro juiz aplicará a lei no lugar dele. Não há escolha. Continue lendo “Poder Judiciário: o bode expiatório do Brasil.”

Estado e governo: porque separar.

Separação de Estado e Governo
Para que a nação caminhe, o Estado e o governo precisam permanecer independentes. Quando estão misturados, prejudicam o país.

Introdução

No Brasil, Estado e Governo se misturam por causa da república presidencialista e quase ninguém percebe a diferença entre ambos e, o pior: há uma tendência de confundir os dois.

O Governo é transitório, ele representa interesses de partidos políticos, enfim: grupos de pessoas que querem levar alguma vantagem no poder. Geralmente os objetivos verdadeiros dos governantes quase nunca coincidem com os da nação.

O Estado é perene. Ele representa o próprio povo, a nacionalidade, a coletividade, os valores fundamentais da sociedade. Ele é a nossa bandeira, o nosso hino nacional, o nosso território, a nossa cultura, a garantia de que somos e seremos Brasil. Enfim: o Estado é a nossa identidade coletiva que nos distingue no cenário internacional. O Estado é a nossa pátria. Continue lendo “Estado e governo: porque separar.”

Empresários e Trabalhadores: escravos do governo.

Escravidão
Escravo é todo aquele que não usufrui dos frutos de seu próprio trabalho e não tem liberdade para mudar a sua condição. O Brasileiro paga quase 100% do seu salário em impostos e não pode mudar seu sistema político pelo voto. Conceitualmente ele é um escravo, apesar de se considerar livre.

Você sabia que os impostos incidentes sobre o salário de um trabalhador com carteira assinada são de 77,91%? Repito: 77,91%! Quase 80%! O Valor bruto que aparece no contracheque do escravo, digo, do trabalhador, já é o valor com o desconto dos 77,91% dos encargos sociais, ou seja: apenas 22,09% sobram para o trabalhador. E tudo isso já é retido na fonte sem nenhuma chance do trabalhador sonegar. Por isso, muitas empresas resistem em assinar a carteira do empregado, pois para tal, é preciso pagar os 77,91% de impostos! Continue lendo “Empresários e Trabalhadores: escravos do governo.”