Bandeira Imperial do Brasil

Bandeira Imperial do Brasil
Bandeira Imperial do Brasil. Vigorou durante o reinado de Dom Pedro II.

A Bandeira Imperial do Brasil é a verdadeira bandeira do Brasil. Ela representa o nosso Estado e o sentimento de unidade dos brasileiros. Ela é o símbolo da nossa luta contra a corrupção e por serviços públicos de qualidade. Continue lendo “Bandeira Imperial do Brasil”

Ranking da corrupção Global 2012: os 10 países mais honestos e os 10 países mais corruptos do planeta

Saiu o relatório da corrupção global em 2012 elaborado pela organização Transparência Internacional. Nele podemos ver quais foram os 10 países mais honestos e os 10 países mais corruptos no ano de 2012.

Ranking da Corrupção Global 2012 - Transparência Internacional - Clique aqui para ver o relatório completo (em inglês)
Ranking da Corrupção Global 2012 – Transparência Internacional – Clique aqui para ver o relatório completo (em inglês)

Veja o relatório completo aqui em PDF: Relatório da Corrupção Global 2012 – Transparência Internacional – Clique aqui para ver o relatório completo (em inglês)

Continue lendo “Ranking da corrupção Global 2012: os 10 países mais honestos e os 10 países mais corruptos do planeta”

Carta Política de São João del-Rei

São João del-Rei, MG

A Carta Política de São João del-Rei é um documento aberto entregue a S.A.I.R. Dom Bertrand por ocasião de sua visita ao município de São João del-Rei em 19 e 20 de agosto de 2012. Ela resume as propostas dos monarquistas mineiros para a formação de um novo Estado com fundamento na Monarquia parlamentar, na restauração do 4º Poder e no fortalecimento da Democracia e das Liberdades civis.

É o primeiro documento do gênero e abrange diversas áreas: organização da Federação, Reforma Tributária, Reforma Eleitoral, Organização do Estado, Poder Moderador, Educação, Composição dos Tribunais Superiores, novo sistema Penal e Prisional.

O documento traz ideias inovadoras e inéditas e reforça outras já conhecidas. Ele é focado em conceder o máximo de liberdade e poder político aos cidadãos. Propõe o fortalecimento dos municípios na Federação concedendo-os mais competências, mais renda e mais força política. Continue lendo “Carta Política de São João del-Rei”

Ranking da corrupção Global 2011: os 10 países mais honestos e os 10 países mais corruptos do planeta

Saiu o relatório da corrupção global em 2011 elaborado pela organização Transparência Internacional. Nele podemos ver quais foram os 10 países mais honestos e os 10 países mais corruptos no ano de 2011.

Relatório da Corrupção Global 2011Relatório da Corrupção Global 2011 – Transparência Internacional – Clique aqui para ver o relatório completo (em inglês)

O Brasil caiu da 69º para 73º! Ou seja: tornou-se ainda mais corrupto.

Continue lendo “Ranking da corrupção Global 2011: os 10 países mais honestos e os 10 países mais corruptos do planeta”

Estado e governo: porque separar.

Separação de Estado e Governo
Para que a nação caminhe, o Estado e o governo precisam permanecer independentes. Quando estão misturados, prejudicam o país.

Introdução

No Brasil, Estado e Governo se misturam por causa da república presidencialista e quase ninguém percebe a diferença entre ambos e, o pior: há uma tendência de confundir os dois.

O Governo é transitório, ele representa interesses de partidos políticos, enfim: grupos de pessoas que querem levar alguma vantagem no poder. Geralmente os objetivos verdadeiros dos governantes quase nunca coincidem com os da nação.

O Estado é perene. Ele representa o próprio povo, a nacionalidade, a coletividade, os valores fundamentais da sociedade. Ele é a nossa bandeira, o nosso hino nacional, o nosso território, a nossa cultura, a garantia de que somos e seremos Brasil. Enfim: o Estado é a nossa identidade coletiva que nos distingue no cenário internacional. O Estado é a nossa pátria. Continue lendo “Estado e governo: porque separar.”

Obama e o Barão de Cotegipe

Barão de Cotegipe
Barão de Cotegipe: um político à frente do seu tempo, visionário e abolicionista. No Brasil Império, os negros já ocupavam cargos de destaque. Após o golpe republicano, deu-se lugar ao preconceito e o país perdeu grandes homens na administração pública apenas porque não eram brancos.

Foi muito comemorada a eleição de Barack Obama a presidente dos EUA por ter sido o primeiro negro a ocupar o cargo. Curiosamente, não foi nesses termos que o próprio Obama se definiu diante das câmeras de TV. Tive a oportunidade de ouvi-lo declarar que não era branco nem preto, mas mulato. Mãe branca e pai negro. Provavelmente se colocando como um ponto de união física entre duas raças cuja trajetória nos EUA foi marcada por um tipo de segregação aviltante. Legalmente, o negro americano chegou a ser definido como ¾ de homem. Isso para não mencionar a legislação dos estados americanos, em especial os do sul após a guerra da secessão, que criou todo tipo de empecilho jurídico ao pleno exercício da cidadania pelos negros. Por mais de século, vigorou a doutrina do “iguais mas separados”, com o devido respaldo da Suprema Corte americana, até que o movimento pelos direitos civis dos anos de 1960 levou a mesma corte a votar por unanimidade extraída a fórceps pela integração racial nas escolas, pondo um ponto final àquela hedionda lei.

De toda forma, negro ou mulato, foi um momento único na história americana. Assumindo-se como mulato, Obama também renegava a tradição de seu país onde uma simples gota de sangue negro era suficiente para que uma pessoa fosse declarada negra. Era como se fosse uma espécie de impureza que um branco não poderia carregar em seu sangue. Continue lendo “Obama e o Barão de Cotegipe”

As 11 maiores mentiras da república no Brasil.

“Quanto às minhas opiniões políticas, tenho duas, uma impossível, outra realizada. A impossível é a república de Platão. A realizada é o sistema representativo [a Monarquia]. É sobretudo como brasileiro que me agrada esta última opinião, e eu peço aos deuses (também creio nos deuses) que afastem do Brasil o sistema republicano porque esse dia seria o do nascimento da mais insolente aristocracia que o sol jamais alumiou…”

(Machado de Assis em crônica, 5 de março de 1867)

Introdução

Brasil: uma vítima da república
Brasil: apesar de ser a nação mais rica em recursos naturais do mundo, adotou o pior sistema de governo da face da terra: a república presidencialista.

O melhor argumento em favor da Monarquia é o que ela faz. Já as repúblicas, só vivem de “discursos” e “boas intenções”.

E não é pra menos. Monarquias tem motivo para administrar melhor (interesse pessoal do rei). O Rei ganha (dinheiro e poder) quando a administração do país é bem feita. Enfim: ele tem motivo pessoal para administrar bem. Ele não precisa ser um herói do caráter para fazer o trabalho dele bem feito. Se ele for um sábio, ótimo. Se ele for um avarento, não tem problema, a própria cobiça natural o incentivará a fazer o necessário para ele se tornar mais rico e poderoso, a saber: promover o crescimento de seus súditos. É incrível como a natureza é perfeita! Não é a toa que ela é monárquica. Basta observar as estrelas, os planetas, os átomos, os animais, os insetos, as religiões.

Repúblicas baseiam-se na ficção da impessoalidade. Enfim: na fé, na crença, na expectativa. Observe-se bem isto: na mera possibilidade de que o administrador sacrifique o próprio interesse pessoal em prol do “bem de todos”. Veja que ingenuidade! É atitude muito difícil de ser realizada, ainda mais se considerarmos que isso não deixa o administrador rico, nem poderoso. E claro: contraria a tendência natural do brasileiro de querer levar vantagem em tudo, a famosa Lei de Gérson.

Geralmente, pessoas que abrem mão do próprio interesse pessoal tornam-se santas, padres, monges, enfim: pessoas que “não gostam de política” e abrem mão do material em prol do espiritual. E se pararmos para pensar que a riqueza fácil nas repúblicas só é possível pelo caminho da corrupção, passaremos a compreender o porquê dos 10 países mais honestos do mundo, 7 são monarquias. Continue lendo “As 11 maiores mentiras da república no Brasil.”

Ranking da corrupção Global 2010: os 10 países mais honestos e os 10 países mais corruptos do planeta

Autor: Sebastião Fabiano Pinto Marques

Saiu o relatório da corrupção global em 2010 elaborado pela organização Transparência Internacional. Nele podemos ver quais foram os 10 países mais honestos e os 10 países mais corruptos no ano de 2010.

Corrupção Global 2010Clique aqui para ver o relatório completo (em inglês)

O Brasil saiu da 75º posição para a 69º, mas não se alegre. 10 países não foram avaliados e outros pioraram a classificação fazendo o Brasil subir 6 posições no ranking. Entretanto, não houve melhoras. Continue lendo “Ranking da corrupção Global 2010: os 10 países mais honestos e os 10 países mais corruptos do planeta”

O conto de fadas da república

O Reino da Espanha investigou e indiciou 95 pessoas envolvidas em corrupção política na27 Espanha. Tudo por causa de um suposto esquema de vendas de alvará de construção na prefeitura da cidade de Marbella.

Incrível! Alguém consegue imaginar algum prefeito brasileiro sendo indiciado por causa de uma “bobagem” como venda de alvarás? Todo mundo vende alvarás… ou finge “não saber” que isso acontece sempre. É prática comum raramente punida na república do Brasil, apesar da lei prometer sanção aos criminosos. Continue lendo “O conto de fadas da república”

Rio de Janeiro: Fotos da Cidade Imperial de 1870 a 1889

Rio de Janeiro Imperial - Largo da Carioca
Largo da Carioca com o Chafariz e o Hospital da Penitência – 1885

Estes slides mostram fotos belíssimas do Rio de Janeiro entre os períodos de 1870 a 1889 quando o Rio de Janeiro era uma maravilhosa e imponente cidade imperial durante o glorioso reinado de Dom Pedro II.

O Rio de Janeiro era uma cidade magnífica em todos os sentidos. Natureza exuberante junto a um desenvolvimento urbano muito avançado para época. O contraste é marcante. O Rio Imperial é muito diferente do Rio de Janeiro republicano marcado pelas favelas, guerras de tráfico e natureza degradada pela ocupação humana desordenada. Continue lendo “Rio de Janeiro: Fotos da Cidade Imperial de 1870 a 1889”