É preciso amar-se primeiro

“Essa tolerância, esse largeur do coração que tudo ‘perdoa’ porque tudo ‘compreende’, é para nós como o vento siroco. Antes viver no meio do gelo do que entre as virtudes modernas e outros ventos do Sul!”1 (Friedrich Nietzsche) Vivemos um momento de extrema apatia social. As pessoas não saem às ruas, nem exigem o cumprimento Leia mais… »