Crise na Venezuela e na Grécia ou o porquê o socialismo fracassa e continua fracassando

queda do muro berlim

Socialismo: a doutrina que ignora a realidade.

A Crise da Venezuela é a crise da esquerda. A esquerda prometeu o paraíso às pessoas. Só se esqueceu de que tudo tem um preço. Bens e serviços não brotam do nada. Eles são o resultado de trabalho. E como tal, precisam ser remunerados.

O Estado não tem renda própria. E quando tem, ela não é suficiente para pagar todas as suas despesas. Essencialmente, o Estado é mantido às custas dos impostos tomados das pessoas. Então para manter seus gastos, ele eleva os impostos ao máximo. E quem paga é quem produz e trabalha. Isso leva ao aumento dos custos de produção e diminui a competitividade das empresas. Resultado: a empresa não vende. Por isso é obrigada a demitir para reduzir custos, isso quando não fecha de vez. Esse ciclo cria um aumento de demanda por “benefícios sociais”, os quais, para serem custeados, requerem mais “aumento de impostos” que, por sua vez, diminuirá mais ainda a competitividade das empresas e resultará em mais demissões e menos atividade econômica. É um ciclo vicioso. 

Se ninguém paga impostos e todos vivem às custas do Estado, quem pagará pelos “benefícios sociais”? Ninguém… Logo, todos ficarão desamparados.

Não existe milagre em economia. Existe cálculo. Se as pessoas não produzem e o Estado só gasta, hora mais, hora menos ele ficará sem dinheiro e as pessoas ficarão sem nada. Simples assim. Não existe pé de dinheiro, nem pé de papel higiênico.

A única maneira de gerar riqueza duradoura é por meio do trabalho. Fora disso, é pura demagogia, pura sanha eleitoreira, pura vontade de ser eleito e se manter no poder às custas da imbecilidade dos que acreditam em contos de fadas e em papai-noel.

A esquerda se aproveitou do que há de pior nas pessoas: a preguiça e a inveja. Prometeu a elas que viveriam sem trabalhar. Disse a elas que a culpa da própria desgraça é de quem é mais bem sucedido. Como solução propôs roubar quem deu duro para crescer na vida. Tudo para manter os preguiçosos no ócio e garantir votos na eleição.

Vejam as eleições da Grécia. A extrema esquerda ganhou porque prometeu “aumentar os benefícios sociais” e dar calote na dívida. Ou seja: na Grécia, terra da razão e da filosofia, o povo escolheu com base na crença no estado-papai Noel salvador. Para resolver o problema de alcoolismo, querem beber mais cachaça!

Na Venezuela há filas imensas para comprar papel higiênico e outros produtos básicos. Este é o "paraíso socialista".

Na Venezuela há filas imensas para comprar papel higiênico e outros produtos básicos. Este é o “paraíso socialista”.

Mas a vida dá lições. A Venezuela está quebrada. A Grécia está quebrada. O Brasil está quebrado. E todos pelo mesmo motivo: nesses países o povo acredita que é possível viver sem esforço. Trata-se de um povo acostumado a ter “direitos”, mas a não ter “responsabilidade”. O resultado é crise econômica grave.

Mas, claro: sempre existirão idiotas dizendo que a culpa disso tudo é da “crise do capitalismo global”.  Global? Chile, Panamá, Uruguai, Paraguai e México prosperam aqui nas Américas e estão crescendo a passos largos. Onde está a crise? Não há. O que existem são países que acreditaram no conto de fadas da esquerda e agora estão pagando o preço por suas más escolhas.

Há os que dizem que a culpa de tudo é dos “maldosos banqueiros internacionais” que cobram juros exorbitantes pelo dinheiro emprestado. Eu pergunto: alguém obrigou o seu país a pegar dinheiro emprestado com alguém? Não. Então, por que fizeram isso? Pelo mesmo motivo que um sem-noção comprou uma Ferrari no crediário e agora está reclamando que não tem como pagar as prestações… Enfim: ambos tomaram decisões irresponsáveis e não querem assumir os próprios erros.

Se quisermos sair da crise, basta jogar os ideais de esquerda no lixo. Onde isso foi feito, o povo prospera e não há filas para comprar papel higiênico.

 

 

 

 

Artigos Relacionados